Bumba meu boi – Fotos: Acácio Pinheiro/Minc

O Bumba meu boi é uma dança popular do folguedo brasileiro. Surgiu no final do século XIII, no litoral nordestino entre os escravos que trabalhavam nos engenhos e fazendas.  Essa dança espalhou-se por todo país, porém com nomes diferentes. No Maranhão é Bumba meu boi, no Pará e Amazonas é Boi-Bumbá, no Espírito Santo é Boi de Reis, e em Santa Catarina é Boi de mamão.

O principal personagem do folguedo é o boi, que é representado por uma armação, coberta por panos e animado por um homem que fica debaixo, realizando movimento improvisados, de acordo com o ritmo da música. 

O folguedo é baseado na história de Pai Francisco e Catirina. Segundo a narrativa, Pai Francisco era um negro escravo casado com Catirina. Ela estava grávida e sentiu o desejo de comer a língua do boi Mimoso, o boi predileto do patrão.

Como Pai Francisco não conseguiu fazer Catirina desistir da ideia, ele arrancou a língua do boi. E depois de cozinharem e comerem a língua do Mimoso, Catirina e Pai Francisco foram dormir.

Acordaram ouvindo muitas vozes. Era o fazendeiro que estava furioso porque seu boi preferido estava morrendo e queria punir os culpados. Pai Francisco e Catirina contaram ao seu senhor o que havia acontecido. O fazendeiro não se conformou ao saber que Pai Francisco lhe fizera aquela traição, já que confiava muito nele.

O fazendeiro mandou chamar o doutor, mas este não conseguiu curar o Boi. Por sugestão dos índios, foram buscar o pajé, que com seus feitiços, consegue ressuscitar o animal.

A narrativa do folguedo possui algumas variações, mais todas envolvem a lenda do boi que é morto e depois ressuscita.

Os principais personagens do Bumba meu boi são:

O Boi – é o principal personagem, toda história acontece em torno dele. Sua vestimenta costuma ser bem colorida e bordada. O boi é símbolo de força e resistência. Figura de grande importância na pecuária e na economia nordestina.

O vaqueiro – é o personagem que avisa o dono da fazenda que o boi foi morto. É uma representação do homem sertanejo, personagem típico da cultura nordestina.

O fazendeiro – Representa o patrão, o senhor dono da fazenda e dos engenhos. É uma representação do homem branco.

Pajé – Personagem que ressuscita o boi através de seus feitiços. É uma representação da cultura indígena.

Pai Francisco (ou Mateus) e Catirina (ou Catarina) – é o casal de escravos que comem a língua do boi. É uma representação dos escravos e da cultura afro-brasileira.

Os músicos – são os responsáveis por animar a festa. Os instrumentos utilizados geralmente são os de percussão, como pandeiros, tambores, matracas (dois pedaço de madeira, que são batidos um contra o outro), maracás (tipo de chocalho) e tambor-onça (tipo de cuíca, de som grave, que remete ao som de uma onça ou de um boi)

Dependendo da região, são incorporados novos personagens típicos do lugar. No Nordeste por exemplo, existe a presença do vaqueiro, no Norte, dos indígenas e do caboclo.

Para a festa do boi, os preparativos começam no final de abril. No dia 23 de junho, vésperas de São João, o boi é batizado. No dia 24 começa a festa do boi que costuma durar até setembro.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *