Nova Olinda do Maranhão é um município brasileiro localizado na microrregião do Pindaré no oeste do Maranhão. Faz limite com os municípios Santa Luzia do Paruá, Santa Helena, Araguanã, Pedro do Rosário e Centro Novo do Maranhão.

Povoado Nova Olinda – Revista Sudene Informa – 1973

A história de Nova Olinda do Maranhão tem seu inicio exatamente no ano de 1963, com a chagada do senhor Antônio Araújo da Silva (Antônio Ferreira) com sua esposa do Maria Oneide, veio também as famílias de Antônio Feitosa Bezerra (Gurupi), Pedro Sois, Acelino Bezerra, João Bezerra e Gonçalinho Porfirio. Todos vinham em busca em terras férteis para o cultivo do arroz, mandioca, milho, feijão e outros produtos. Naquele mesmo ano, foram feitas as primeiras aberturas nas matas. As primeiras habitações (barracos) foram feitos onde é atualmente o cemitério local e próximo à atual Rua da Igreja, pois havia água nas proximidades no chamado igarapé do barraco.

Vista aérea de Nova Olinda, 2018 – Foto: Elenildo Silva

No dia 03 de fevereiro de 1963, Antônio Ferreira trouxe sua esposa à senhora Maria Oneide de Azevedo, a quem se atribui o nome de Nova Olinda, esse nome era o mesmo de um povoado que eles haviam morado nas margens do rio Parnaíba, e foi confeccionada uma placa e colocada nas proximidades do bairro Trator, com a seguinte frase: (Bem vindos a Nova Olinda)

Primeira Missa

Igreja católica de Nova Olinda, 2018 – Foto: Elenildo Silva

Foi rezada no ano de 1964 pelo Padre Joaquim em uma residência, nos anos seguintes as missas foram realizadas na Igreja velha (Capela atual de Santa Terezinha)

Primeiro Novaolindense

Raimundo Nonato Bezerra, foi o primeiro nascido em Nova Olinda em 31 de agosto de 1964, filho de Acelino Bezerra, parto realizado em casa de dona Maria Oneide.

Nos anos seguintes surgiram mais habitações, surgindo então os primeiros bairros, o Trator foi o primeiro a formar-se, depois bairro da piaba.

Em 1973, chegam os missionários (Robert e Dollores), vindos dos Estados Unidos, que moravam onde é atualmente a rua dos Americanos (a rua era chamada antes da chegada dos missionários de “Faca Larga” por causa de um morador que possuía um faca nesse formato. Eles tinham o trabalho de evangelização junto aos indígenas (URUBUS KAAPOR). O casal trouxe várias mudas e sementes de acerola, abóbora, pepinos e o mais destacado o guaraná, eles tinham uma panela especial para fazer conservas de alguns produtos.

Nos anos seguintes a localidade recebeu varias famílias vindas de outras regiões e outros estados, todos vinham em busca de melhores dias, o trabalho básico eram a agricultura e exploração da madeira. Com a nova abertura da estrada (BR 316) o povoado foi crescendo de forma gradativa, sendo em poucas décadas destaque na região. Alguns estados como Ceará, Piauí, Pernambuco e Alagoas, contribuíram para a formação do povo Novaolindense.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.